Saúde

Zika vírus é propriedade da família Rockefeller

img_20160129_224048

O Zika vírus, que começou assustando os brasileiros e agora já roda o mundo, é propriedade da Fundação Rockefeller, que provavelmente ajudou na sua criação. O fato pode ser constatado no site da ATCC – entidade que trabalha na “aquisição, autenticação, produção , preservação , desenvolvimento e distribuição de microrganismos, com padrão de referência, linhas celulares e outros materiais.”, como eles mesmos se descrevem.

O mais interessante é que o Zika vírus está a venda por 599 dólares e o nome do depositário é “J. Casals, Rockefeller Foundation”. Outro fato que chama atenção é que a data de origem do Zika Vírus é o ano de 1947. Eis o link da página do órgão que comercializa o Zika vírus: http://www.lgcstandards-atcc.org/products/all/VR-84.aspx?geo_country=es#history 

Origem do foco do Zika vírus recebeu mosquitos geneticamente modificados

A entidade britânica Oxitec revelou que tinha uma fazenda de mosquitos geneticamente modificados no Brasil, em julho de 2012. Tudo isso com o objetivo de reduzir “a incidência de dengue”, como o portal The Disease Daily relatou. A dengue é transmitida pelo mesmo mosquito, o Aedes aegypti, que também espalham o vírus Zika – embora eles “não possam voar mais de 400 metros, podem inadvertidamente ser transportadas por seres humanos a partir de um lugar para outro. ” Em julho de 2015, pouco tempo depois os mosquitos geneticamente modificados foram os primeiros liberados para a vida selvagem em Juazeiro do Norte, no Ceará, como anunciado orgulhosamente pela Oxitec afirmando ter “controlado com sucesso o mosquito Aedes aegypti, que espalha a dengue, a chikungunya e o Zika vírus, através da redução da população do mosquito em mais de 90 %. ” Embora isso possa soar como um sucesso estrondoso – e , sem dúvida , era – há duas possibilidades alarmantes a se considerar: o tiro pode ter saído pela culatra ou isso foi proposital visando interesses espúrios, visto que a Fundação Rockefeller é grande defensora do neomalthusianismo que prega a diminuição populacional, principalmente nos países ditos “em desenvolvimento” como é qualificado o Brasil.

zika-virus-21

Pesquisadores de armas biológicas dos EUA estiveram no epicentro do Ebola em 2014 

Além dos britânicos usarem o Brasil para fazerem seus experimentos com mosquitos geneticamente modificados, há também o caso de pesquisadores americanos na África. Mais precisamente tratavam-se de pesquisadores da Universidade de Tulane a serviço do Instituto de Pesquisa Médica do Exército de Doenças Infecciosas dos EUA, localizado no Fort. Dietrich.

Em comunicados a Universidade de Tulane afirmou, primeiro em 2007 que recebera 3,8 milhões de dólares “concedidos pelos Institutos Nacionais de Saúde, que envolviam trabalho pela Corgenix em colaboração com a Universidade de Tulane, do Instituto de Pesquisa Médica do Exército de Doenças Infecciosas dos EUA, BioFactura Inc. e auto-imunes Technologies.”

“Os relatórios clínicos dos estudos em Serra Leoa continuam a mostrar resultados surpreendentes”, segundo Robert Garry, professor de microbiologia e imunologia na Faculdade de Medicina da Universidade de Tulane e investigador principal da subvenção.

“Acreditamos que esta colaboração notável resultará em produtos de detecção que irão realmente ter um impacto significativo na saúde da África Ocidental, mas também irá preencher uma lacuna necessária na defesa contra o bioterrorismo.”, completa o professor revelando que haviam mais interesses um pouco além da saúde do povo africano.

fort-dietrick-biogerms

Já em 12 de outubro de 2012, outro comunicado revelava:

“Em 2009, pesquisadores receberam um subsídio de cinco anos de U$7,073,538 do Instituto Nacional de Saúde para financiar o desenvolvimento contínuo de kits de detecção da febre hemorrágica viral de Lassa. Desde então, muito tem sido feito para estudar a doença. Dr. Robert Garry, Professor de Microbiologia e Imunologia, e Dr. James Robinson, Professor de Pediatria, foram envolvidos na investigação da febre de Lassa. Juntos, os dois têm recentemente sido capazes de criar o que são chamados de anticorpos monoclonais humanos. Depois de isolar as células B de pacientes que sobreviveram à doença, eles utilizaram métodos de clonagem molecular para isolar os anticorpos e reproduzi-las no laboratório. Estes anticorpos foram testados em cobaias no The University of Texas Medical Branch em Galveston e mostraram que ajudam a impedi-los de morrerem de febre de Lassa. Mais recentemente, uma nova febre de Lassa Ward está sendo feita no Hospital Governo Kenema de Serra Leoa. Ao terminar, ele (o hospital) estará melhor equipado para ajudar os pacientes afetados pela doença e esperamos ajudar a acabar com a propagação da mesma.” OBS: O Hospital Kenema foi um dos centros do surto de Ebola em 2014.

Por fim, mas não menos esquisito foi o Ministério da Saúde e Saneamento de Serra Leoa pedir em sua página do Facebook, em 23 de julho de 2014, para que a Universidade de Tulane parasse os testes com Ebola, enquanto o surto estivesse ocorrendo.  Para ver postagem do  Ministério da Saúde e Saneamento de Serra Leoa, clique aqui.

Serra Leoa

Vale lembrar que a patente do vírus Ebola pertence ao Governo dos Estados Unidos, como pode ser checado no aplicativo do Google dedicado a patentes: http://www.google.com/patents/US20120251502 Não satisfeito acessando o link, ainda pode-se descobrir que o Ebola foi inventado, com direito aos nomes dos inventores: Jonathan S. Towner, Stuart T. Nichol, James A. Comer, Thomas G. Ksiazek, Pierre E. Rollin.

Todo esse envolvimento – dos aparatos anglo-americanos com surtos epidêmicos – já deixa claro que os plutocratas como Rothschild, Rockefeller e outras famílias do eixo Londre-Washington-Tel Aviv investem pesado em armas biológicas e parecem não ter pudor algum em testá-las naquilo que convencionou-se chamar terceiro mundo. Usar índios e florestas contra o desenvolvimento de países do hemisfério sul parece não ser a prática mais maligna dessa gente.

Referências: Crônicas Subterrâneas Anti Media D.C. Clothesline IntellHub Caminho Alternativo

Anúncios
Standard

16 thoughts on “Zika vírus é propriedade da família Rockefeller

  1. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia | panoramalivre

  2. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia -

    • Prezado, em nenhum momento falei que a patente é deles. Falei que o Zika vírus é da Fundação. E para alguém possuir algo não é necessário que este alguém patenteie.

      Procure evitar burocratizar quando tratar de geopolítica. Desta maneira suas avaliações ficarão limitadas.

      Em breve dirão que não existe guerra entre Israel e Palestina pq ambos países não entregaram documentos declarando guerra um ao outro.

      Você nunca verá algo do tipo: Eu, Marcinho VP, declaro oficialmente neste papel timbrado possuir a boca do morro de Santa Marta, com 102 armas e 14 toneladas de Cocaína.

      Quer dizer, a Fundação Rockefeller faz o experimento, isola, manipula e armazena o vírus Zika a seu bel prazer, mas veja bem burocraticamente não é deles. Isso é tolice.

      Desta maneira pode até se afirmar que a segunda guerra é uma fraude: Alemanha e URSS invadiram a Polônia, após o pacto Molotov-Ribbentrop, mas não existe declaração de guerra documentada em papel entregue ao embaixador.

      Gostar

  3. Pingback: Zika vírus é propriedade da família Rockefeller | panoramalivre | CLIPPING DE NOTÍCIAS DA SENAPRO-PCO

  4. Pingback: BOMBA – Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia | Bom Jardim Notícias.com

  5. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia – mínimo é o máximo

  6. Ricardo diz:

    Teorias a parte, está muito errada a interpretação dos links fornecidos como fonte. O que está a venda é uma amostra de sangue de macaco contendo zika virus, extraída por algum funcionário da fundação rockefeller em 1947. Nada a ver com a origem do vírus. O mesmo vale para a “patente do ebola”, não é a patente do próprio virus, somente de um agente que produz uma resposta imunológica similar – também conhecido como “vacina”… vale consultar alguém que leia inglês antes de tomar essas coisas como verdade.

    Gostar

    • Prezado, em nenhum momento falei que a patente do Zika é deles. Falei que o Zika vírus é da Fundação. E para alguém possuir algo não é necessário que este alguém patenteie. A questão aqui é a origem de quem isolou essa amostra. Essa amostra veio deles.

      Sobre o Ebola eles tem patenteado uma estirpe ou um tipo de vírus Ebola. Isso não impede que eles manipulem outros tipos de Ebola. Faça as conexões dos institutos que estavam em Serra Leoa, a declaração oficial do Ministério do país…

      Vou repetir o que disse ao amigo acima:

      Procure evitar burocratizar quando tratar de geopolítica. Desta maneira suas avaliações ficarão limitadas.

      Em breve dirão que não existe guerra entre Israel e Palestina pq ambos países não entregaram documentos declarando guerra um ao outro.

      Você nunca verá algo do tipo: Eu, Marcinho VP, declaro oficialmente neste papel timbrado possuir a boca do morro de Santa Marta, com 102 armas e 14 toneladas de Cocaína.

      Quer dizer, a Fundação Rockefeller faz o experimento, isola, manipula e armazena o vírus Zika a seu bel prazer, mas veja bem burocraticamente não é deles. Isso é tolice.

      Desta maneira pode até se afirmar que a segunda guerra é uma fraude: Alemanha e URSS invadiram a Polônia, após o pacto Molotov-Ribbentrop, mas não existe declaração de guerra documentada em papel entregue ao embaixador.

      Gostar

  7. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia | 60 Graus

  8. Thiago B diz:

    Quanto sensacionalismo. O Zika não é mutagênico, isso é conversa alarmista de quem não entende nada do que está falando. Trabalho com pesquisas genéticas, não existem alelos nem trechos cromossômicos que sequer indiquem mutação acidental, quem dirá induzida, na trilha genética deste vírus.
    O homem possui conhecimento e tecnologia pra manipular genética, mas isso deixa rastros. Não é como montar e desmontar peças de lego, exige um trabalho intensivo com enzimas e replicações bacterianas que geram uma série de falhas sucessivas. Os próprios códons revelam parentescos entre famílias e gêneros distintos de vírus.
    O Zika sempre existiu, o que proporcionou deu alastramento foi o péssimo manejo dos ecossistemas urbanos associado às alterações climáticas e o descontrole populacional humano, como ocorre aliás com a Dengue e também com diversas outras doenças já bem conhecidas e estudadas pelo ser humano.

    Gostar

  9. Eduardo diz:

    Desculpem me intrometer , mas alguem sabe me dizer se esse virus ou esses virus , em particular o ” zika ” , podem ter vindo de fora do Brasil , incluvise o que está nos atingindo no momento, ou se criou ou estão criando condições para seu surgimento aqui no Brasil.. Eu digo estão se criando, no que se refere ha um comportamento principalmente no que atinge ao meio ambiente, ou degradação do mesmo , pelas condições de tratamento e de limpeza que proporcionamos a ele. Se e que uma coisa tem a ver com a outra.

    Gostar

  10. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia - Jaru190.com

  11. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia -Segundo a Organização dos Médicos Argentinos | Blog Farmacêutico Responsável Técnico

  12. Pingback: Componente químico Pyriproxyfen é apontado como causa da microcefalia | Tudo Sobre Zika Vírus

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s