Geopolítica

Estados Unidos é pego dando suporte a líderes do Estado Islâmico

Aeronaves dos Estados Unidos foram flagradas evacuando terroristas no Iraque. De acordo com fontes da segurança iraquianas, os EUA e seus aliados regionais são os grandes responsáveis pela proteção e manutenção do Estado Islâmico na região.

lido_892

*Para editor do Veterans Today, a operação foi feita pela CIA e não pelo Exército Americano.

Um alto funcionário da segurança iraquiana, falando sob a condição de anonimato revelou ter evidências da cooperação entre Estados Unidos e Estado Islâmico. “Nós temos evidências convincentes de que um helicóptero pousou em Albu Arim próximo a cidade de Fallujah para tirar os líderes do Estado Islâmico que estavam em contato com os americanos. Os Estados Unidos tiraram os líderes do Estado Islâmico, a fim de resgatá-los de possíveis ataques por parte das forças do Exército e da segurança do Iraque”, revelou a fonte que também observou que outras aeronaves americanas estavam sobrevoando a área para proteger o avião o qual estavam embarcando os líderes dos terroristas.

Histórico de ajuda dos EUA e aliados aos terroristas islâmicos

Em outubro do ano passado, o porta voz do batalhão do Hezbollah no Iraque, Jafar al-Hosseini, revelou ter capturado líderes do Estado Islâmico que teriam confessado receber suporte de inteligência e logística dos americanos. As informações dadas aos terroristas eram sobre as posições e metas das forças iraquianas.

“À medida que os comandantes do Estado Islâmico eram capturados, em recentes operações militares das forças populares iraquianos, eles confessavam que o apoio dos EUA aos grupos terroristas não se limitam a apoio logístico. Os comandantes do Estado Islâmico confiaram nas autoridades norte-americanas, que lhes tinham assegurado que as forças iraquianas não atacariam Fallujah porque os EUA pediram ao governo iraquiano para impedir que as forças populares entrem em Fallujah e invadam Beiji; portanto, os terroristas deixaram Fallujah e foram ficar de alerta lá em Beiji”, declarou Jafar al-Hosseini.

Al-Hosseini, também havia afirmado na época que suas forças planejavam reconquistar a cidade de Ramadi somente após expulsar as forças americanas da província de Anbar.

“Nossas forças têm duas operações em curso; primeira tomar Ramadi do Estado Islâmico e segundo manter afastada as forças americanas da província de Anbar “, disse na época Al-Hosseini.

Autoridades iraquianas, em diferentes ocasiões, criticaram os EUA e seus aliados por fornecerem ao Estado Islâmico, na Síria, armas e munições sob o pretexto da luta contra o grupo terrorista.

Também em outubro, o exército de voluntários das forças iraquianas descobriram armas feitas no Estados Unidos como equipamentos militares e munições, incluindo mísseis anti-blindados, todos localizados em posições e trincheiras capturadas durante as operações na região de Fallujah, na província de Al-Anbar onde estavam os terroristas.

As forças iraquianas encontraram um enorme volume de mísseis avançados TOW-II dos terroristas takfiri na cidade de al-Karama em Fallujah. Os mísseis eram novos e o Estado Islâmico os tinham transferidos para Fallujah visando usá-los contra unidades blindadas do exército iraquiano.

Já em 10 de outubro de 2015, as forças iraquianas descobriram hardwares e munições militares dos terroristas em Beiji, todos “Made in US” – feitos nos Estados Unidos.

“Os hardwares e as armas militares haviam sido jogadas por aviões de guerra e helicópteros norte-americanos para o Estado Islâmico em áreas próximas de Beiji.” disseram fontes militares.

Em fevereiro de 2015, um funcionário da província iraquiana atacou os países ocidentais e seus aliados regionais por apoiarem terroristas takfiri no Iraque, revelando que os aviões norte-americanos continuavam jogando, de paraquedas, armas e alimentos para os terroristas do Estado Islâmico.

“Os aviões norte-americanos jogaram armas para os terroristas do Estado Islâmico nas áreas sob controle deles e até mesmo em áreas que foram recentemente libertadas do controle do Estado Islâmico para encorajar os terroristas a voltarem à esses lugares.”, explicou o Coordenador de forças populares iraquianas Jafar al- Jaberi.

Ele observou que testemunhas em Al-Havijeh na província de Kirkuk tinham testemunhado os aviões norte-americanos jogando várias cargas suspeitas para terroristas na província.

“Dois aviões da coalizão também foram vistos acima da cidade de Al-Khas em Diyala, levando os terroristas takfiri para a região que foi recentemente libertada do controle do Estado Islâmico”, completou Al-Jaberi.

Também em fevereiro de 2015, um legislador iraquiano revelou que o exército do Iraque derrubou dois aviões britânicos que estavam transportando armas para os terroristas do Estado Islâmico na província de Al-Anbar.

“O Comité de Segurança e Defesa Nacional do Parlamento Iraquiano tem acesso à fotos de ambos os aviões que são britânicos e deixaram de funcionar, enquanto estavam transportando armas para o Estado Islâmico”, disse o chefe do comitê de Hakem al-Zameli.

Ele disse que o parlamento iraquiano pediu explicações a Londres sobre este incidente. O legislador iraquiano revelou ainda que o governo em Bagdá está recebendo relatórios diários de pessoas e forças de segurança na província de Al-Anbar sobre numerosos vôos de aviões da coalizão liderada pelos Estados Unidos que jogam armas e suprimentos para o Estado Islâmico nas áreas controladas pelos terroristas.

O legislador iraquiano apontou ainda a causa de tais ajudas ocidentais para o grupo terrorista, e explicou que os EUA preferem uma situação caótica na província de Anbar, que é perto das cidades de Karbala e Bagdá, uma vez que não quer que a crise no Iraque, feita pelo Estado Islâmico, chegue ao fim .

scaled_full_a694f88995e4a0d5af82

Também em fevereiro de 2015, um funcionário da província iraquiana atacou os países ocidentais e seus aliados regionais por apoiar terroristas takfiri no Iraque, revelando que  armas de fabricação israelense e americana, foram descobertas em áreas tomadas dos terroristas islâmicos.

“Nós descobrimos armas feitas nos EUA, em países europeus e em Israel a partir das zonas libertadas do controle do Estado Islâmico na região de Al-Baqdadi”, testemunhou o Chefe do Conselho Provincial, Khalaf Tarmouz Al-Anbar.

Ele observou que as armas feitas por países europeus e Israel foram descobertas a partir da parte oriental da cidade de Ramadi que estava sob o domínio do Estado Islâmico.

Enquanto isso, Chefe do Parlamento iraquiano e do Comitê de Segurança e Defesa Nacional, Hakem al-Zameli, também revelou que os aviões da coalizão “anti-Estado Islâmico” despejaram armas e alimentos para o Estado Islâmico na províncias de Salahuddin, Al-Anbar e Diyala. Em janeiro de 2015, al-Zameli sublinhou que a coalizão é a principal causa da sobrevivência do Estado Islâmico no Iraque.

“Há provas e evidências de ajuda militar da coalizão liderada pelos Estados Unidos aos terroristas do Estado Islâmico através de cargas aéreas jogadas.”, pontuou Hakem al-Zameli.

Al-Zameli observou que os membros do seu comité já provaram que os aviões norte-americanos despejaram armamento avançado, incluindo armas anti-aéreas, para o Estado Islâmico, e que – devido a isso – criou uma comissão de inquérito para investigar a questão.

“Os EUA jogam armas para o Estado Islâmico com a desculpa de não saber sobre o paradeiro das posições dos terroristas e ele está tentando distorcer a realidade com as suas alegações!”, completou de forma contundente o  Chefe do Parlamento iraquiano e do Comitê de Segurança e Defesa Nacional.

Ele observou que a comissão havia recolhido os dados e as provas fornecidas por testemunhas oculares, incluindo oficiais do exército iraquiano e as forças populares, e disse: “Estes documentos foram apresentados ao comitê de investigação e serão tomadas as medidas necessárias para proteger o espaço aéreo iraquiano . ”

Também em janeiro de 2015, outro legislador iraquiano reiterou que a coalizão liderada pelos EUA é a principal causa da sobrevivência do Estado Islâmico no Iraque.

“A coalizão internacional é apenas uma desculpa para proteger o Estado Islâmico e ajudar o grupo terrorista com equipamentos e armas”, dessa vez alertou Jome Divan, que é membro do bloco al-Sadr no Parlamento iraquiano.

Ele disse que o apoio da coalizão liderada pelos EUA ao Estado Islâmico é agora evidente para todos, e finalizou – “A coalizão não tem como alvo principal saber as posições do Estado Islâmico no Iraque.”

No final de Dezembro de 2014, a Comissão Parlamentar de Segurança e de Defesa do Iraque revelou que um avião norte-americano forneceu a organização terrorista, armas e munições na província de Salahuddin.

O líder da Comissão, Majid al-Gharawi afirmou que as informações disponíveis apontam que aviões norte-americanos estão dando suporte aos terroristas do Estado Islâmico, não só na província de Salahuddin, mas também em outras províncias.

Majid al-Gharawi acrescentou que os EUA e seus aliados não combatem a ameaça com seriedade e revela interesses espúrios por trás.

“Os EUA e a coalização internacional não são sérios no combate contra a organização terrorista, porque eles têm o poder tecnológico para determinar o local das presenças do Estado Islâmico e destruí-los em um mês. Os EUA estão tentando expandir o tempo da guerra contra o Estado Islâmico para obter garantias do governo iraquiano e ter suas bases nas províncias de Mosul e Anbar.”, explicou o líder.

A Comissão de segurança Salahuddin também foi outra a revelar que “aviões desconhecidos lançaram armas e munições para os atiradores do Estado Islâmico a sudeste da cidade de Tikrit “.

Por fim, é importante destacar que os Estados Unidos sozinhos já gastaram na guerra do Iraque, desde 2003, mais de 2 trilhões de dólares. Obviamente um país com essa capacidade conseguiria facilmente destruir uma organização terrorista tão nova e que conta com tão pouco contingente e tecnologia, em poucas semanas. Já ficou claro quem está por trás dos mercenários do Estado Islâmico.

Referências:

Veterans Today

Advertisements
Standard

3 thoughts on “Estados Unidos é pego dando suporte a líderes do Estado Islâmico

  1. Renata diz:

    Tanta hipocrisia!!! Nossas vidas não valem nada para os chefoes do mundo, se eles tem interesse em um país, fazem uma limpeza étnica, e financiam o terror. Ainda, aparecem os idiotas úteis para ajudar,que são a maioria da população.

    Gostar

    • Sim, somos peões mesmo. Americanos, turcos, sauditas e outros lutarão uma guerra que não é deles, que não têm motivações que engradecem seus países e seus povos. É uma guerra por um projeto que não é deles.

      Gostar

  2. Pingback: Líder do Estado Islâmico teria fugido para Líbia com ajuda de Turquia e Estados Unidos | panoramalivre

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s