Geopolítica

Turquia viola acordo internacional e não permite voo de observação da Rússia

A Turquia não permitiu que o avião da Rússia An-30B sobrevoasse seu território – mais precisamente na fronteira com a Síria – e assim violou o Tratado de Céus Abertos, acordo que foi assinado em 1992, em Helsinque, por 27 Estados membros da OSCE (Organização para Segurança e Cooperação na Europa).

Uma fonte de alto escalão do Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a recusa dos turcos para permitir que a Rússia realize um voo de observação sobre o seu território – obviamente nos termos do Tratado de Céus Abertos – confirma as preocupações da Rússia com a Turquia estar apoiando os terroristas do Estado Islâmico pela fronteira com a Síria.

“Este caso é, naturalmente, ultrajante, porque hoje o Tratado de Céus Abertos é praticamente um dos muitos mecanismos que continuam em operação no espaço europeu e este tratado é válido e permite a aquisição de informações válidas sobre as medidas tomadas ou não tomadas por um ou outro estado. Isso mais uma vez confirma essas preocupações que a parte russa manifestou várias vezes sobre a utilização da fronteira turco-síria para o apoio de terroristas do Estado Islâmico”, disse a fonte que não se revelou.

A fonte russa também explicou que o Ocidente acusou a Rússia ativamente de atividades ilegais na fronteira com a Ucrânia, em 2015, e os países membros da OTAN solicitaram voos de observação sobre o território russo.

Vale lembrar que o Ministério da Defesa da Russia apresentou vários vídeos, fotos e imagens de satélite que mostram claramente que a Turquia tinha sido envolvido em negócios de petróleo ilegal com o Estado Islâmico por um longo período de tempo.

Desde que o bombardeio russo começou em 30 de setembro de 2015, o Estado Islâmico teve perdas significativas no contrabando de petróleo que fazia para a Turquia. Muitos analistas sugeriram que o Estado islâmico pode ser erradicado facilmente se a Turquia, Arábia Saudita, Israel e Qatar pararem de apoiar o Estado Islâmico na Síria e no Iraque.

Em memória da repórter Serena Shim (1985-2014) – a primeira a revelar as relações entre Turquia e Estado Islâmico

Está claro que os turcos ainda tentam esconder sua cooperação com o Estado Islâmico através da fronteira com a Síria. A cooperação entre Ancara e os terroristas islâmicos não é tão atual e foi revelada pela repórter libanesa-americana Serena Shim, da PressTV, que foi assassinada em 19 de outubro de 2014, após mostrar a Turquia facilitando a entrega de armas e mantimentos para os terroristas islâmicos do outro lado da fronteira.

Poucos dias antes de morrer, Serena Shim foi acusada de ser uma espiã pela inteligência turca. A repórter, que tinha dois filhos, morreu após seu carro colidir com um caminhão perto da fronteira Turquia-Síria. O motorista sumiu do local e o caso foi abafado pelas autoridades turcas.

 

Referência: SouthFront

Anúncios
Standard

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s